sábado, 26 de outubro de 2013

UMA PRIMEIRA VEZ (Carlos Celso Uchôa Cavalcante)

UMA PRIMEIRA VEZ

(Carlos Celso Uchôa Cavalcante=23/outubro/2013)


Jamais esqueci a tez
Da morena cor do jambo
No romantismo de um mambo
Foi nossa primeira vez.

Perdi minha sensatez
No momento em que dançávamos
Ambos, ternos, nos olhávamos,
Senti sua timidez.

Extasiada, talvez,
Segurou em minha mão
Esboçando um sorriso.

Nos fomos, sua nudez,
Na cama, em frenética ação,

Levou-me a um paraíso.

Um comentário:

Bafejos de Minha Alma disse...

Olá Carcel, te encontrei entre num blog, cá estou a reler suas preciosidades, e esse poema "primeira vez" ficou um show, sensual , sutil e primoroso. Estou te seguindo.
meus blog's
http://compartilhandopoesias.blogspot.com

http://bafejosdeminhaalma.blogspot.com.br

Abçs!